Tipografia pode acabar com uma ideia?

Confira dicas básicas para a escolha de uma boa tipografia

Quem já não perdeu muito tempo procurando a fonte adequada para seu trabalho, levanta a mão!

Pois é. A escolha da fonte não é tarefa fácil. Parece, mas não é. A tipografia é a “alma” de todo trabalho. Junto com o design, a tipografia tem que combinar e ser atrativa, de acordo com o que está anunciando ou divulgando.

Imagine um trabalho tecnológico, futurístico, com uma fonte “Times News Roman”. Já deu para sentir a meleca. Mas gosto é gosto, cada um tem o seu e temos que respeitar.

Mas, de regra geral, temos que ter alguns cuidados para que o seu trabalho não seja comprometido por causa de uma fonte ou grupo de tipologia mal estudada. O design pode ser ótimo, a ideia fantástica, mas, se pecar na fonte, tudo vai por água abaixo.

Na Four nós temos muitos livros de referências e fontes, que fomos investindo para a equipe de criação ao longo dos anos. O mais legal é que são referências do mundo todo. É bem útil e nos ajuda muito.

Vejamos abaixo as cinco dicas básicas para a escolha de uma boa tipografia:

1. Antes de mais nada, veja o assunto da peça que está criando e procure uma fonte que combine com o tema. Exemplo: para um baile country, escolha uma fonte estilo western. Para tema de carnaval, a fonte tem que ser viva, colorida, alegre, e por aí vai.

 

2. Para conteúdo de textos muito extensos ou técnicos, temos que usar uma fonte com boa leitura e mais básica, como, por exemplo, uma Arial, Helvetica Myriad etc

 
 

 

3. Quando fizer uma revista ou catálogo, escolha uma família de fontes com muitas variáveis, pois ao longo do trabalho irá precisar de um negrito, itálico, um negrito bold itálico, condensada etc.

 

4. Muitas fontes são de fora, dos Estados Unidos, por exemplo. Daí, ao usá-la você percebe que as palavras ficam sem acento. Isso é ruim para usar porque terá que fazer na mão, o que não é nada bom para a produtividade. Fora que a margem de erro é grande. Portanto, procure fontes com acentos, que são muito mais fáceis.

 

5. Evite misturar mais do que três fontes num trabalho. O ideal são duas. Escolha uma que fique bacana para o título e alguma chamada, e outra para o conteúdo. Pode ser da mesma família de fontes ou distintas. Use o bom senso. É a melhor forma.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Fique a vontade para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*